Nova relação com EUA abre caminho para Cuba reestabelecer vínculos com Israel

Comentarios






O histórico estabelecimento de relações diplomáticas entre Washington e Havana abriu a porta para que Israel e Cuba retomem as suas relações depois de mais de 40 anos, embora a boa vontade costume ser prejudicada por complexos interesses e esquemas geoestratégicos.

«A ausência de relações diplomáticas não é natural. Após os EUA terem restabelecido as suas com Cuba não há razão para manter esta situação», confirmaram fontes diplomáticas israelitas.

Israel continua a aproximação entre Cuba e EUA desde o ano passado e o seu Ministério dos Negócios Estrangeiros analisou o assunto em profundidade na busca de uma política efectiva perante as dramáticas mudanças dos últimos sete meses.

«Não temos nenhum conflito com Cuba e há muito interesse por esse país entre os israelitas e vice-versa: interesse político, económico e cultural», acrescentaram as fontes ao lembrar que foi Cuba que sancionou Israel e que, na teoria, deveria suspendê-las («embora nem sempre tenha que ser assim»).

Após 25 anos de estreitas relações avalizadas pela sua comum ideologia socialista e o papel desempenhado pelo empresário, cientista e diplomata judeu-cubano Ricardo Wolf ou Lobo (que dá nome ao principal prémio científico israelita), a Cuba comunista rompeu relações com Israel em Setembro de 1973.

E fê-lo numa estratégia emoldurada dentro da Guerra Fria, o seu crescente interesse pelo mundo árabe e a presidência do Movimento dos Não Alinhados, que Fidel Castro obteve pouco depois.

Após a queda do bloco soviético e o início do processo de paz de Oslo entre israelitas e palestinianos, em 1992 aconteceu uma notória aproximação, que não chegou a estabelecer relações formais pela necessidade de Israel de apoio político e financeiro americano.

«Era tudo uma farsa, havia relações. Artistas e escritores cubanos visitavam Israel; os israelitas visitavam Cuba. Mas três mil milhões de dólares de ajuda (dos EUA) tinham que ser devolvidos de alguma maneira», lembrou sobre esse período Tamar Goyansky, ex-dirigente do Partido Comunista Israelita (hoje, Jadash).

últimos estudos postados

A Parábola da Dracma Perdida (Lucas 15:8-10)

A Parábola da Dracma Perdida é uma parábola contada por Jesus registrada no Evangelho de (Lucas  5:8-10). Neste estudo bíblico, veremo...