Boa medida, recalcada, sacudida e transbordante. O que isto significa?

Comentarios
Muita gente tem dúvida sobre o que significa a expressão “boa medida, recalcada, sacudida e transbordante” utilizada por Jesus. A confusão geralmente ocorre pelo fato desta frase quase sempre ser aplicada em apelos por ofertas e contribuições, ou no contexto de obtenção de bênçãos e vitórias.

Onde essa frase aparece na Bíblia?

Essa frase aparece no versículo 37 do capítulo 6 do Evangelho de Lucas. Esse capítulo narra alguns eventos importantes do ministério de Jesus, como cura de enfermos, a escolha dos doze apóstolos e um importante sermão, que incluiu até mesmo o uso de parábolas.
A frase que estamos estudando está dentro da seção do capítulo que registra o sermão de Jesus. Esse sermão registrado no Evangelho de Lucas lembra bastante o chamado “sermão da montanha” registrado no Evangelho de Mateus (caps. 5-7).
Os estudiosos discutem se ambos os sermões se referem à mesma ocasião do ministério de Jesus ou se foram pronunciados pelo Senhor em ocasiões diferentes. Se a primeira possibilidade estiver correta, então Lucas forneceu uma versão resumida do sermão registrado por Mateus. Já se a segunda possibilidade for a correta, então parece provável que Jesus tenha utilizado material semelhante em diferentes ocasiões de seu ministério.
No sermão registrado por Lucas, temos quatro bem-aventuranças, seguidas por quatro ais (Lc 6:20-26). Depois temos uma descrição do tipo de padrão de vida exigido dos cidadãos do reino de Deus, terminando com a aplicação da Parábola dos Dois Fundamentos (Lc 6:27-49).

Entre os versículos 27 e 31, Jesus adverte contra o sentimento vingativo, seguido com um ensino sobre a importância do amor ao próximo (vers. 32-36) e um alerta a respeito do julgamento imprudente (vers. 37,38). É justamente nessa última parte onde encontramos a frase da qual estamos falando.
Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; soltai, e soltar-vos-ão. Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo (Lucas 6:37,38).

Boa medida, recalcada, sacudida e transbordante. O que isto significa?

Quando Jesus usou a expressão “boa medida, recalcada, sacudida e transbordante“, ele estava se referindo a figura de um mercado de cereais do Oriente Médio, mas também pode ser perfeitamente entendida com algo que todos nós conhecemos muito bem.
Quando é posto um determinado produto numa vasilha até a borda, apesar da vasilha parecer estar repleta com sua capacidade máxima, na verdade há ainda muito espaço nela. Para garantir que realmente a capacidade máxima da vasilha esteja sendo utilizada, é preciso “sacudir” e “prensar” o produto nela, completando-a com mais produto até que este se derrame pelas bordas da vasilha. Assim, a medida estará recalcada, ou seja, prensada, sacudida e verdadeiramente transbordante.
Jesus ainda vai mais além dizendo que a medida transbordante “lhe será derramada em seu colo“. Isso é uma referência à algibeira, uma pequena bolsa costurada na roupa abaixo da cintura muito utilizada na época e que podia carregar uma boa quantidade grãos.
Com tudo isto, o que Jesus está dizendo é que quem dá generosamente, também receberá generosamente, com principal ênfase ao julgamento que nossas próprias ações nos levam a ser submetidos, isto é, “porque de acordo com a medida com que vocês medirem é que por sua vez serão medidos“.
Obviamente essa passagem não se refere especificamente a ofertas e contribuições, mas a algo ainda mais abrangente, isto é, o nosso padrão de vida e a forma com que nossas ações demonstram a generosidade esperada por um seguidor de Cristo diante das obrigações que temos tanto com o reino de Deus quanto com a necessidade de outras pessoas.
Também, de modo algum, essa frase pode ser aplicada num sentido de barganha com o próprio Deus como muitas vezes acontece, ou seja, quando alguém se propõe a fazer algo ou até mesmo contribuir objetivando um reembolso ainda maior.
Sobre isto, o apóstolo Paulo foi claro ao escrever que “o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará. Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria” (2 Coríntios 9:6,7).
Perceba que aquele que “semeia em abundância” é o mesmo que “dá com alegria“, ou seja, em nada tem a ver com quantidade ou valor, mas com o propósito sincero com que contribuímos com a obra do Senhor ou socorremos alguma necessidade.

últimos estudos postados

A Parábola da Dracma Perdida (Lucas 15:8-10)

A Parábola da Dracma Perdida é uma parábola contada por Jesus registrada no Evangelho de (Lucas  5:8-10). Neste estudo bíblico, veremo...